projeto inicial

Introdução

foto do projeto enviado ao Edital Temporada de Projetos 2009

O que segue é uma versão adaptada para este website do projeto inicial enviado ao Paço das Artes para o "Edital Temporada de Projetos 2009". Vale lembrar que esse projeto, apesar de conter as motivações e interesses principais da proposta da Temporada de Projetos na Temporada de Projetos, deverá sofrer alterações em relação ao projeto final da exposição.

Exposição1

Denominada Temporada de Projetos na Temporada de Projetos, a presente proposta de curadoria foi elaborada especificamente para o "Edital Temporada de Projetos 2009" do Paço das Artes e consiste na exposição de projetos de artistas. Todos os artistas que enviaram projetos para o edital serão convidados a expô-los, independente do resultado da seleção.

Ao fazer uma dobra no conceito de exposição, a proposta estabelece uma rede de reflexões sobre processos artísticos e curatoriais e oferece um espaço de debate por meio de plataformas de apoio formadas por workshops e palestras.

A origem da necessidade de elaborar projetos, segundo Boris Groys, já havia sido detectada por Hegel, que a apontava como uma característica de todas as sociedades pós-revolucionárias pelo fato de que "prescrevem objetivos racionais, procedimentos e estratégias aos seus membros, e exigem deles explicações, justificativas e planos precisos". Groys conclui afirmando que "o sistema de arte atual funciona exatamente de acordo com estas regras"2.

A presente proposta se origina em uma prática artística dos autores que detectou profunda ressonância na afirmação de Groys, isto é, uma prática que funciona e se origina na criação de projetos e que exemplifica o cenário atual da produção artística no Brasil3. Assinalada essa origem, podemos até afirmar que esta proposta é uma curadoria de artistas. Isso não significa defender que o resultado será artístico em si, mas sim que decorre de uma proposta cuja relevância é constatada em — e impulsionada por — práticas artísticas anteriores.

Essas mesmas práticas levaram à compreensão de que o acesso a determinadas obras pode ser mais claro através de um projeto do que pela obra em si. Constatação que leva às questões: poderia um projeto ser apresentado em lugar da obra que ele pretende realizar? Nesse caso, poderíamos dizer que o projeto contém em si a obra?

projeção tridimensional em escala de proposta de museografia

Não cabe neste momento responder a essas perguntas, mas suponhamos que os projetos possam, no mínimo, conter uma parte das obras — mesmo que em alguns casos seja só uma etapa —, desse modo, apresentar todos esses projetos não seria uma maneira de apresentar todas as obras (ainda que partes de todas elas)? Além disso, essa apresentação não permitiria que o público tivesse acesso a um leque muito mais amplo e variado da produção, ou seja, um que inclui pinturas, esculturas, gravuras, desenhos, fotografias, vídeos, performances, instalações, etc.? E ainda: expor toda essa variedade não seria também uma forma de aceitar um público com uma gama de interesses muito mais abrangente, isto é, dar resposta ao público que busca pinturas, ao que busca esculturas, ao que busca gravuras e assim por diante?

De qualquer forma, é indiscutível que a exposição dos projetos permitiria ao público abordar uma etapa da produção artística que costuma ser velada pela maneira na qual geralmente são apresentadas obras de arte; isto é, como um produto acabado, final e no qual raramente se evidenciam as etapas iniciais do processo que levam à sua constituição. Caso obras selecionadas para a "Temporada de Projetos 2009" estejam sendo exibidas no mesmo período que Temporada de Projetos na Temporada de Projetos, configura-se uma situação muito singular e relevante: seriam expostos tanto o projeto quanto a obra em si, abrindo assim uma chance única de vislumbrar um processo artístico e criativo de maneira inusitada.

Escalas de público

Se por um lado Temporada de Projetos na Temporada de Projetos permite a todos um contato diferenciado com o processo artístico, desmistificando o ato criativo, por outro é muito importante considerar o fato do Paço das Artes estar localizado dentro da Cidade Universitária: um ambiente de ensino e pesquisa, ou seja, parte considerável do público em potencial da exposição está em formação.

Aos artistas e estudantes de artes, Temporada de Projetos na Temporada de Projetos coloca-se também como uma oportunidade formativa excepcional. Na qual, considerados os apontamentos de Groys, os artistas podem compreender melhor um momento importante de sua atividade, aperfeiçoar-se nela e contextualizá-la. Por exemplo, ao poder ler e comparar os vários projetos e suas variadas formas de projetar e ao permitir que compreendam as suas posições em relação a todos os outros projetos enviados ao edital — e não apenas àqueles selecionados. Não se podendo negligenciar que dessa compreensão podem inclusive surgir trocas entre artistas cuja produção se assemelha, à maneira que ocorre em exposições coletivas ou mesmo em simpósios com apresentação de trabalhos, em diferentes áreas do conhecimento.

A partir do ponto de vista dos artistas, cujos projetos não estiverem sendo expostos, pode-se encarar a exposição como uma chance de exibir uma obra que nunca viria a ser exposta; mas que, ao tomar essa forma de exposição gera a oportunidade de efetivar uma etapa do processo de criação e permitir algum tipo de retorno aos artistas.

Repensando a curadoria

Expor projetos de artistas também é uma proposta originada na necessidade de reflexão sobre o processo curatorial, em uma tentativa de pensar a curadoria em um contexto mais amplo; ou seja, curadorias que incluam os processos de seleção e análise de projetos, bem como elaborem novas formas de apresentar e mediar arte.

Temporada de Projetos na Temporada de Projetos cria condições para analisar a situação na qual comumente vêem-se profissionais ao analisarem e selecionarem projetos dentro do contexto de editais competitivos, principalmente dada a dificuldade da prática da curadoria nessas condições: ao mesmo tempo que podem pretender uma coesão de proposta curatorial, precisam ater-se às propostas dos artistas e às qualidades das mesmas frente à exeqüibilidade dentro de condições orçamentárias e espaciais muito específicas e, não raro, bastante restritas.

Por fim, é importante também pensar o presente projeto de curadoria caso seja selecionado entre todos os outros enviados para o "Edital Temporada de Projetos 2009" do Paço das Artes. Aos outros proponentes de curadorias será feito um convite para pensarmos juntos suas participações na Temporada de Projetos na Temporada de Projetos, seja pela apresentação de seus projetos ou pela participação nas plataformas de apoio, onde propõe-se que as questões levantadas pela exposição dos projetos — processo artístico, processo curatorial, conceito de exposição, etc. — sejam debatidas em palestras e workshops que complementam a exposição, conforme descrito a seguir.

Plataformas de apoio

Ainda que a apresentação dos projetos em um formato expositivo seja indispensável para a presente proposta, consideramos — do ponto de vista do alcance formativo — ainda mais importantes as atividades de suporte englobadas nas duas plataformas representadas pelos workshops de formação e pelas palestras. A primeira plataforma de apoio consiste em dois módulos de workshops: um de seleção e curadoria de projetos e outro de análise e elaboração de projetos. O objetivo principal de ambos é a formação por meio de atividades dirigidas.

A segunda plataforma de apoio se dá pela realização de oito palestras divididas em três módulos: "A importância do ato de projetar", "Seleções e curadorias" e "Curadores, artistas, etc.: aproximações e expansões". O objetivo principal dessa série de palestras é aprofundar o debate a respeito da criação, apresentação, seleção, curadoria e desenvolvimento de projetos dentro do âmbito da arte; além de refletir sobre as noções de exposição, curadoria e artista.

projeção tridimensional em escala de proposta de museografia

É através das atividades das plataformas que pretende-se esclarecer, ampliar e aprofundar os temas sugeridos pela apresentação dos projetos. Mais ainda, interessa também trazer as reflexões para um debate mais público, ou seja, que não se limite às conclusões que cada visitante possa vir a estabelecer ao entrar em contato com a exposição. É também por esse motivo que em ambas as plataformas são propostas a criação de referências que podem continuar acessíveis após o termino da exposição, tanto via internet quanto pela publicação de um livro-texto contendo transcrições das palestras, material desenvolvido nos workshops e também outros textos e referências.

[1] – O presente texto pertence ao projeto de curadoria enviado ao “Edital Temporada de Projetos 2009”. No momento o objetivo é desenvolver as propostas apresentadas por meio de um diálogo aberto com todos os envolvidos e aqueles que vierem a se interessar. [2] – GROYS, Boris "The Mimesis of Thinking" in DE SALVO, Donna (Ed.) "Open Systems", Tate, 2005. [3] – Uma pesquisa no website Canal Contemporâneo mostra que apenas nos últimos dez meses mais de vinte editais de grande porte e abrangência nacional foram realizados, sendo que todos aceitavam propostas na forma de projetos.



http://projetosnatemporada.org/projeto/index.shtml
versão do dia 05/11/09 às 22h00 PST acessada em 23/06/2017